Anabolismo, Catabolismo e Metabolismo


Anabolismo e catabolismo fazem parte do metabolismo. O metabolismo envolve todos os processos químicos de transformação de substâncias que acontecem dentro das células para nos fornecer energia e crescimento dos músculos, por exemplo.

Anabolismo

O que é anabolismo?

O anabolismo é a fase do metabolismo onde moléculas mais complexas são sintetizadas a partir de moléculas menos complexas. Estas moléculas menos complexas recebem a denominação de substratos.

O anabolismo demanda para sua ocorrência a oferta de energia e substratos necessários às suas reações, sendo responsável pelo crescimento, regeneração e manutenção dos diversos tecidos e órgãos presentes no organismo, como o tecido muscular.

Um exemplo deste processo anabólico reside na síntese de proteínas dentro do tecido muscular a partir dos aminoácidos, e na formação de estoques de glicogênio por intermédio do agrupamento de moléculas de glicose.

Isto ocorre, por exemplo, quando após uma sessão de treinamento temos a ingestão adequada de nutrientes. Principalmente carboidratos e proteínas, onde os carboidratos serão convertidos em glicose e parte desta armazenada como glicogênio, e as proteínas fornecerão os aminoácidos necessários à hipertrofia muscular.

Os principais hormônios anabólicos são o hormônio do crescimento (GH), a testosterona, a insulina e o IGF-1.

Esteroides anabólicos

Esteroides anabólicos são hormônios sintéticos geralmente derivados da testosterona, o hormônio sexual masculino essencial para construção dos músculos. Apesar de geraram ganhos rápidos, tanto em homens quanto em mulheres, eles geram uma série de efeitos colaterais nocivos, desde acne até câncer de próstata e hipertrofia do coração.

Os esteroides anabolizantes mais conhecidos e utilizados são:

  1. Anavar (oxandrolona): aumenta a força e provoca ganho moderado de massa muscular;
  2. Anabolicum Vister (quimbolone): anabolizante mais fraco mais utilizado por iniciantes;
  3. Anabol (metandrostenolona): causa ganho de força e aumento da massa muscular em pouco tempo, mas com efeitos colaterais mais aparentes, como acne, ginecomastia e muita retenção de líquido;
  4. Deca-durabolin (decanoato de nandrolona): provoca um bom ganho de massa com poucos efeitos colaterais hormonais;
  5. Durateston (decanoato de testosterona, fenilpropiaonato de testosterona, isocaproato de testosterona e propionato de testosterona): provoca grandes efeitos colaterais, o que torna desvantajoso o custo-benefício da droga;
  6. Equipoise (undecilenato de boldenone): trata-se de uma droga de uso veterinário que infelizmente é utilizada para fins anabólicos em humanos. Pode ser facilmente detectada em exames antidopings e causar infertilidade, entre outros efeitos colaterais;
  7. Primobolan (mentelona): é o anabolizante mais utilizado pelas mulheres por ser um anabolizante bem tolerado com efeitos colaterais reduzidos;
  8. Winstrol (stanozolol): possui baixo potencial anabólico e é mais utilizado para a perda de gordura e definição muscular;
  9. Hormônio do crescimento (GH): o GH sintético também possui baixo potencial anabólico e é mais indicado para causar perda de gordura corporal.

Os esteroides anabolizantes são aplicados ou ingeridos em ciclos, os chamados ciclos anabólicos. O uso do Anabol, por exemplo, é feito em um ciclo de 12 semanas com intervalo de 2 semanas para que se inicie um novo ciclo. Já a Durateston é utilizada em ciclos intercalados ao com outras drogas, em doses que podem variar de 250 mg, até 1 g da droga em uma única semana.

Catabolismo

O que é o catabolismo?

O catabolismo é a fase do metabolismo onde o organismo libera e consome energia através do desmembramento de moléculas mais complexas, que resulta na obtenção de moléculas mais simples e uma maior disponibilidade de nutrientes ao organismo.

Dentre os principais hormônios catabólicos temos a adrenocorticotropina (ACTH) que ocasiona a secreção dos hormônios glicocorticoides, dentre os quais figura o tão conhecido cortisol.

Como exemplo de catabolismo, temos o processo de digestão dos alimentos, onde o organismo realiza o “desmonte” dos nutrientes presentes nos alimentos em moléculas mais simples que serão posteriormente usadas pelo metabolismo.

Durante um treinamento para manter a oferta de energia necessária, o organismo estará utilizando o processo anteriormente descrito.

O catabolismo também ocorre quando o organismo está sem energia suficiente e busca obtê-la por intermédio da destruição de seus próprios tecidos e reservas, acarretando a liberação de aminoácidos e glicose que serão convertidos em energia.

Devido a isto, dizemos que ninguém está “crescendo” ou aumentando a sua performance durante uma sessão de treinamento, já que essa é essencialmente catabólica. A recuperação muscular virá nos períodos de descanso onde o organismo, caso tenha a oferta adequada de nutrientes, estará em anabolismo.

Catabolismo muscular

O catabolismo muscular é temido pelos praticantes de musculação porque é nesse processo que o músculo é “destruído”. Acontece quando o organismo degrada a proteína muscular para obter energia. Isso pode acontecer quando o indivíduo treina em excesso, não se alimenta adequadamente e não dá o descanso adequado para o músculo. Doenças e viroses também podem influenciar no catabolismo muscular.

O catabolismo proteico refere-se à degradação de proteínas que pode acontecer pelos mesmos motivos e impacta diretamente os músculos, já que sem proteínas no organismo não há construção ou manutenção da massa muscular.

Como evitar o catabolismo?

É simples evitar o catabolismo:

  1. Não faça exercícios físicos por um longo período de tempo. Um treino de 1 hora por dia já é o suficiente;
  2. Alimente-se adequadamente antes e após o treino. Não é aconselhável treinar em jejum de 2 horas ou mais, nem tampouco demorar para se alimentar após treinar;
  3. Tente não ultrapassar o limite de 3 horas sem se alimentar no dia a dia;
  4. Invista na ingestão de carboidratos: 60% de sua dieta alimentar deve ser composta por eles, já que são a primeira fonte de energia utilizada pelo organismo. Se não estiverem disponibilizados em quantidade adequada, as proteínas são utilizadas para obter energia e então o músculo é degradado;
  5. Consuma proteínas: são elas que formarão os seus músculos. Proteínas devem ser ingeridas em todas as refeições, compondo cerca de 20 a 30% de sua dieta diária. Logo antes de treinar, no entanto, prefira os carboidratos;
  6. Consuma gorduras insaturadas, pois elas também são fonte de energia e protegem o sistema cardiovascular;
  7. Durma 8 horas por dia: o músculo precisa de descanso adequado para se desenvolver e é durante o sono que a maioria desse processo acontece;
  8. Evite bebidas alcoólicas: elas diminuem a síntese de proteínas, te deixam sem forças para malhar no outro dia e reduz os níveis de testosterona no organismo, hormônio fundamental para o crescimento muscular.

Metabolismo

O que é o metabolismo?

Metabolismo é o processo de transformação das substâncias químicas dentro do organismo em nível celular. É através do metabolismo que tudo que nós ingerimos se transforma em energia, no processo chamado de metabolismo energético, e em massa muscular, por exemplo.

Basicamente o metabolismo está dividido em duas partes que contém objetivos e resultados opostos, o anabolismo e o catabolismo. O catabolismo e anabolismo são regulados pelo sistema hormonal, onde alguns hormônios específicos atuam como sinalizadores e desencadeadores destes estados metabólicos.

As reações que acarretam o gasto de energia e construção de tecidos são conhecidas coletivamente como anabolismo. O catabolismo é o processo onde essa energia é liberada a partir da ingestão de carboidratos complexos que são convertidos em substâncias mais simples, por exemplo.

A diferença entre a quantidade total de anabolismo e a de catabolismo em um período de tempo determina o balanço metabólico:

  • Caso a quantidade de anabolismo tenha sido maior do que a de catabolismo, teremos um balanço metabólico positivo;
  • Caso a quantidade de catabolismo tenha sido maior do que a de anabolismo, teremos um balanço metabólico negativo;
  • Caso a quantidade de anabolismo tenha sido igual à de catabolismo, teremos um balanço metabólico nulo.

Como acelerar o metabolismo?

Acelerar o metabolismo é essencial para obter energia e para ganhar músculos mais rápido. Você deve:

  1. Não pule refeições: coma em pequenas porções durante o dia e não fique mais de 3 horas sem se alimentar. Caso contrário o seu corpo vai economizar energia e assim o seu metabolismo não vai funcionar adequadamente;
  2. Beba água: sem a ingestão adequada de água o seu organismo não funciona corretamente e o seu metabolismo cai;
  3. Treine: exercícios aeróbicos e a prática da musculação aumentam o metabolismo mesmo quando o corpo está em repouso;
  4. Prefira os carboidratos de baixo a médio índice glicêmico (maçã, pão integral, batata doce…), já que os que possuem alto índice glicêmico são digeridos rapidamente e elevam as taxas de glicose no sangue;
  5. Consuma proteínas em todas as refeições, pois são elas que fornecem os aminoácidos essenciais para a construção dos músculos;
  6. Consuma gorduras boas: as gorduras insaturadas (óleo de coco, azeite de oliva…) são essenciais para o organismo. Elas dão saciedade e também são fonte de energia;
  7. Durma 8 horas por dia: quando você dorme mal o seu metabolismo fica lento e todo o processo de liberação e gasto de energia fica comprometido.

Alimentos que aceleram o metabolismo

Os alimentos que mais aceleram o metabolismo são:

  • Gengibre, canela e guaraná em pó;
  • Chá verde e chá mate;
  • Amêndoas, maçã, frutas vermelhas e frutas cítricas;
  • Carnes magras e salmão;
  • Cereais integrais;
  • Iogurte light;
  • Pimenta;
  • Ovos, feijão, espinafre e demais alimentos ricos em vitamina B;
  • Brócolis;
  • Ômega 3 e óleo de coco;
  • Água.

É fundamental fazer da alimentação a sua aliada número 1 para favorecer tanto o anabolismo quanto o catabolismo, qualquer que seja o seu objetivo.


Leia também:

10 Dicas para Aumentar a Queima de Gordura

15 Dicas para o Aumento de Massa Muscular

Regras de Alimentação para Fisiculturistas